Gizé

  • 03_Giza_pyramid_complex

A cidade de Guiza (Gizé) oficialmente foi fundada por cerca do século IV a.C. Provavelmente era uma pequena vila desde os antigos tempos da História Egípcia, situada no centro do caminho entre Heliópolis e Ménfis na margem ocidental do rio Nilo. A grande capital Ménfis estava a sul da cidade de Guiza actual. Na realidade Ménfis era um grande centro cultural e comercial quase ao longo de todas as épocas da História Egípcia Antiga. Quando o Cristianismo floresceu no Egipto, Ménfis perdeu grande parte da sua importância, tornando-se numa parte subordinada de Guiza. Depois da conquista islâmica, Ménfis foi abandonada, mas Guiza era bem-fortificada por ordens do comandante da conquista árabe Amr Ibn Al-Ass. Grandes mesquitas foram construídas em Guiza, infelizmente, nos tempos actuais nada ficou delas. Esta região era na sua maior parte agrícola, por isso era de vez em quando muito mal afectada pelas cheias anuais do rio Nilo. Naquela altura Guiza era apenas uma pequena cidade rodeada de vilas rurais e comunidades de pescadores. No século XIX o governador do Egípto Ismael Pacha mandou construir um grande palácio cercado de jardins. Entre 1889-1902 um anexo deste palácio foi transformado temporalmente num museu das antiguidades egípcias descobertas naqula época, mas ao acabar as obras do Museu Egípcio na praça do Tahrir, no centro da cidade do Cairo, a colecção foi trasladada ao novo museu. Um pouco depois, os jardins do palácio foram transformadas em dois dos mais importantes jardins públicos da cidade e da região do Grande Cairo ; O Jardim Botânico de Orman e o Parque Zoológico de Guiza.



Em 1869 o canal de Suéz inaugurou-se num ar de grandes e pomposas cerimónias durante o reinado do governador do Egipto Ismael Pacha, entre os convidados havia grandes figuras, monarcas, ministros, duques, príncipes e princesas europeos e do mundo inteiro, e acima de tudo veio a imperatriz da França Eugeni, a esposa do Imperador francês Napolião III, por isso, além de grande esquema de obras públicas que foi levado a cabo, havia também reconstruções e decorações e manutenções feitas para facilitar a visita dos altos convidados sobretudo nos sítios históricos, e assim nasceu o projecto da “Avenida das Pirâmides”. Logo, Guiza se estendeu ao norte e ao oeste, e apareceram novos bairros, hotéis, restaurantes, bancos, escolas e empresas. Porém em cima de tudo, a princípios do século XX nasceu o projecto ambcioso da Universidade do Cairo situada na terra da cidade de Guiza que é consederada a Universidade Mãe não só no Egipto mas também no Mundo Árabe e Africano. Depois, muitas embaixadas foram construídas na cidade, sobretudo no centro da cidade e no bairro de Duqqi. Hoje em dia e por causas geoegráficas e demográficas a cidade de Guiza faz parte do Grande Cairo, mas administrativamente são duas províncias separadas, pois o Grande Cairo – Cairo, a maior parte de Guiza junto a uma parte da província da Qalyubia no norte do Cairo- tem cerca de 20 milhões de habitantes, e Guiza tem somente quase 7 milhões de habitantes. A maior parte dos monumentos da provínca de Guiza é egípcia antiga (Faraônica) mas os Monumentos Islâmicos e Cristãos antigos são raros na cidade, ao contrário do Cairo que possui a maior parte dos monumentos Islâmicos no território egípcio mas ao mesmo tempo tem apenas poucos monumentos faraônicos. Sem dúvida, entre os mais importantes sítios históricos de Guiza destacamo-se : Sakkara, a vasta necrópole da grande capital antiga Ménfis. Sakkara contem variedades de monunmentos, Pirâmides sobretudo a Pirâmide Escalonada do rei Zóser, um grande número de Mastabas- túmulos de nobres- rectangulares em forma e decorados de cenas fantásticas da vida quotidiana dos antigos egípcios, e o Serapium ou seja as grandes galerias subterrâneas em que os touros sagrados eram sepultados dentro de sarcófagos colossais de granito. Guiza também contem os vestígios da capital antiga Ménfis. Entre os mais importantes sítios históricos em Guiza sobressaem-se Dahshour, Abou Sir, Atfih, Abou Rawash e o oásis de El Baharya. Mas, acima de tudo a província se caracteriza pela existência das grandes pirâmides de Guiza.

Entre os mais distinguidos museus da cidade sobresalientam-se : O Museu Agrícola no bairro de Duqqui, O Museu da Arte Moderna, o Museu de M. Mahmud Khalil, localizado na avenida de Murad. Actualmente o Ministério de Cultura está a preparar um projecto ambicioso para construir o Grande Museu Egípcio perto da área das pirâmides em Guiza.