Abu Simbel

  • Templo de Abu Simbel
  • n Abu Simbel 6 normal
  • Abu Simbel, relevos
  • Panorama_Abu_Simbel_crop1
  • Panorama_Abu_Simbel_crop

Abu Simbel

A região de Abu Simbel está a 280 km. a sul de Assuão. Localizada na margem oeste do rio Nilo. O rei Ramsés II (1290-1223 a.C aprox.) escolheu esse sítio privilegiado para construir dois templos fascinantes escavados inteiramente na rocha do monte. Ramsés II é um dos mais celebres soberanos da História Antiga do Egito. È considerado, sem dúvida, o primeiro construtor do Egito, pois grande parte dos monumentos conservados de hoje data do seu reinado. Os dois templos foram afetados pelas águas do Lago Nasser, por isso em 1964 as obras de salvação iniciaram-se, graças aos esforços do UNESCO os dois templos foram transferidos a um local mais seguro com 65 m. de altura. Enfim e depois de grande trabalho e técnica muita avançada e a custos que atingem 40 milhões de dólares norte americanos. Os dois templos foram desmontados, e outra vez foram remontados em um lugar mais alto, e afinal foram inaugurados em 22 de Setembro de 1968. O primeiro templo dedicado a Rá-hor-Akhty, Amon, Petah e ao próprio rei divinizado Ramsés II. O segundo templo, e o menor em termos de tamanho, foi dedicado à deusa Hathor, e à esposa favorita de Ramsés II, a rainha Nefertari.

Templo de Abu Simbel (Templo de Rá-hor-Akhty)

Este belo templo escavado inteiramente nas rochas foi construído Por Ramsés II. Tem uma fachada de 35 m.de comprimento e 30 m. de altura. Encontram-se quatro colossos sentados do rei adiante da fachada do templo. Cada um tem 20 m. de altura e representa o rei sentado no trono com a coroa dupla do Alto e Baixo-Egito sobre o toucado real. Enquanto que aos dois lados e entre as duas pernas se encontram três figuras com tamanho menor que representam as consortes, filhas, e filhos do rei. Também, lá existe uma inscrição em grego feita pelos comerciantes gregos que visitaram o templo durante o reinado do rei Pesmatik I da dinastia XXVI.( 663-525 a.C aprox.). Nos lados do trono existe a representação tradicional do sinal conhecido do Sma-tway ( sinal da Unificação das duas terras do Egito; o norte e o Sul ) que ilustra o deus do rio Nilo, por duas figuras gêmeas e bissexuais; a primeira representa o rio do Alto-Egito e o a segunda indica o Nilo do Baixo-Egito. Hapi em forma de duas figuras está a atar a flor de lótus ( emblema do Sul ) com o papiro ( emblema do Norte ) como um sinal da unificação histórica do país. Abaixo dos pés gigantescas do rei se encontra uma representação que ilustra os inimigos tradicionais do Egito naquela época: os Ásiaticos e os Núbios. Em cima da entrada no centro encontra-se um nicho que contem uma estátua pequena do deus Rá-hor-Akhty representado de pé com o disco solar sobre a sua cabeça. O deus Rá-Hor-Akhty era um dos mais antigos e importantes deuses do Antigo Egito, pois foi considerado uma forma do deus Rá, o deus do sol. No topo da fachada encontra-se uma fila de babuínos que simbolizam ao culto do sol. Antes de passar pela entrada chega-se a uma terraço retangular, no lado meridional existe a estela famosa que narra a história do casamento do rei Ramsés II com a filha do rei dos Hititas. O terraço conduz a um vestíbulo longo cujo fundo, aos dois lados, está decorado de cenas que ilustram o rei fazendo oferendas diante de Amón-Rá, Mut, e Rá-hor-akhty. Passando por uma entrada decorada dos cartuchos de Ramsés II chega-se a uma Sala de pilares (Colunata) que tem quase 17 m. de comprimento e 16 m. de largura. Os 8 pilares dessa sala estão adornados com a figura osírida do rei ( que tem a forma de Osíris com braços cruzados ao peito). A maioria dos relevos entalhados nos pilares é religiosa ilustrando o rei ora rezando diante das diversas divindades, ora fazendo oferendas. Na parede oriental encontra-se uma cena que representa Ramsés segundo subjugando os inimigos Asiáticos, enquanto ao lado oposto está há uma cena similar que ilustra o rei subjugando os inimigos núbios. O teto da nave central da Colunata está decorado de Abutres com asas abertas, enquanto o teto das naves laterais está decorado de estrelas. Ao lado esquerdo ( no fundo ) encontram-se dois quartos ornamentados com relevos pintados, e ao lado direito se encontram 4 quartos laterais decorados de relevos coloridos e impressionantes, provavelmente eram usados como depósitos em que guardavam os utensílios e tesouros do templo. Em geral, As paredes desses quartos estão recobertas de várias cenas religiosas, a maioria delas ilustra o rei fazendo oferendas diante das divindades diferentes. Voltando à primeira Sala, a Colunata, chegamos a outra sala pequena de 4 pilares. Lá, encontram-se duas esfinges que guardam a entrada que conduz a está sala pequena. Outra vez aparecem as cenas religiosas e das oferendas. Ao passar pela pequena sala chega-se a um vestíbulo cujas paredes estão entalhadas com relevos mostrando cenas de oferendas. Este último vestíbulo conduz ao santuário no centro e a duas capelas laterais sem decorações. O Santuário é um quarto pequeno com um altar no centro e inclui quatro estátuas que representam os quatro deuses principais do templo ( da direita à esquerda) Rá-hor-akhty, o rei Ramsés II (divinizado), Amón, e Petah. É curioso mencionar que o sítio deste templo foi escolhido perfeitamente com grande precisão para permitir a entrada dos raios do sol ao santuário duas vezes por ano, a primeira em 22 de Fevereiro e a segunda em 22 de Outubro.
O Segundo Templo de Abu Simbel

o Templo menor de Abu Simbel (Templo de Hathor)

Os templo  menor foi construído por ordem do rei Ramsés II em homenagem da sua esposa amada Nefertari e dedicado também à deusa ilustre Hathor, a deusa do Amor, maternidade, alegria, e música. Em geral é um pequeno templo escavado inteiramente nas rochas do monte com cenas pintadas e vivas. Ao lado norte encontra-se uma inscrição que menciona que o arquiteto era o vice-rei em Kush, Ani de Heracleopolis. A fachada do templo tem quase 28 m. de comprimento e 12 m. de altura, decorada de 6 colossos, quatro representam o rei Ramsés II, e apenas duas representam a rainha Neferetari. Cada colosso atinge quase 11 m. de altura. Nota-se que ao lado de cada colosso encontram-se duas figurinhas que representam os seus filhos; o primeiro colosso de Ramsés (ao lado esquerdo) Ramsés está rodeado dos príncipes Mery-Atum e Mery-Rá, a pé de Nefertari no centro se encontram as estátuas das princesas meryt-Amón e Hentawy e enfim Ramsés está rodeado dos princípes Amon-hr-khpeshef e Rá-herw-imn-f. Ao outro lado essas estátuas são repetidas, mas com ordem reversa.
O templo consta de uma entrada que conduz a um corredor decorado de cartuchos e inscrições do rei Ramsés e a sua esposa Nefertari. Ao passar pelo corredor chega-se a uma sala com 6 pilares decorados da imagem da deusa Hathor. O teto desta sala está recoberto cm texto dedicatório por parte de Ramsés II à rainha Nefertari. As paredes estão entalhadas de relevos que ilustram cenas diferentes como a coroação do rei por Hórus e Set (ao lado esquerdo), a rainha Nefertari adiante de Hathor, Nefertari outra vez adiante da deusa “Anqet”, senhora da Núbia e a consorte do deus Khnum, senhor da criação segundo as crenças dos antigos egípcios, e o rei está representado fazendo oferendas ao deus Rá-hor-akhty. No fundo do templo encontra-se o santuário que contem um nicho com uma estátua destruída da deusa Hathor em forma de uma vaca protegendo o rei Ramsés II.

Enviar um comentário